De Coração para Coração

Dia da Independência 2017

“Se o Senhor se agradar de nós, então nos porá nesta terra, e no-la dará; terra que mana leite e mel. Tão-somente não sejais rebeldes contra o Senhor, e não temais o povo dessa terra, porquanto são eles nosso pão; retirou-se deles o seu amparo, e o Senhor é conosco; não os temais. Mas toda a congregação disse que os apedrejassem; porém a glória do Senhor apareceu na tenda da congregação a todos os filhos de Israel”. (Números 14:8-10)

Hoje comemoramos no Brasil o Dia da Independência. Estudamos de uma forma tão superficial nas escolas que por muitas vezes não conseguimos visualizar toda a situação que aconteceu na época. Na verdade, quando eu mais nova e estudava esse assunto apenas via soldados à margem do rio Ipiranga gritando: Independência ou morte! Mas, sinceramente… Nunca me atentei ao fato que provavelmente teve uma guerra sangrenta com pessoas mortas, situação de caos, crises e muitas dificuldades.

Para o Brasil chegar ao ponto que estávamos antes da crise, aconteceram lutas e mais lutas, mortes e mais mortes. O Brasil é um país riquíssimo e vasto, tanto que está espelhado em sua bandeira.

Verde: sua vasta flora que vem sendo desmatada a cada dia mais;

Amarelo: o ouro no tempo do império, mas traz a ideia de todas as riquezas que temos. Observe o quanto nós temos de melhor no país e ao invés de usarmos em nosso benefício é exportado para que outros países usufruam o que é nosso por direito;

Azul: quem nunca viu a maravilha do nosso céu de norte a sul, seja no amanhecer ou no cair da noite ou os rios que sempre tivemos com abundância e hoje estão sendo reduzidos;

Branco: com os dizeres “Ordem e Progresso” que parecem ter sido esquecidos, essa cor nos remete ao desejo de paz ao povo.

Lendo o texto bíblico no início vemos que Israel, assim como tantos países que estudamos e vemos, para que os povos se libertassem da tirania de um governo era preciso uma guerra para que os opressores caíssem e a liberdade enfim se instalasse.

A diferença de Israel é que eles oravam e clamavam a Deus também. E mesmo quando a maioria era contra, Deus se fez presente e não permitiu que fossem mortos pela multidão.

Não estou dizendo que devemos levantar uma guerra sangrenta, porque infelizmente ela já tem acontecido nas ruas do nosso Brasil com tanta violência que temos vivido, mas hoje temos outra arma e ainda mais poderosa do que as usadas nas ruas: a oração.

Em toda a história do povo de Israel e se buscarmos muitos momentos fatídicos do Brasil, houve um povo remanescente e por algumas vezes não tão numeroso assim que dobrou os seus joelhos e clamaram ao Criador de todas as coisas.

Queremos um Brasil melhor? Jejuemos, oremos e clamemos ao Eterno que tenha misericórdia de nós e mude a história do nosso país, remova do governo o corrupto e nos dê políticos que realmente sejam pela causa do nosso povo.

Convido a todos que estão lendo essa reflexão que se juntem a milhões de cristãos e clamem a Deus pelo nosso país. Excepcionalmente hoje, estaremos tirando cinco minutos no horário de meio dia, horário de Brasília, para juntos clamarmos e que nossa oração chegue aos céus. Se o horário já tiver passado, suplique assim mesmo no momento que ler a mensagem.

É hora de nós gritarmos: Independência ou Morte! Porque se você não reparou é para isso que nosso Brasil maravilhoso e abençoado está caminhando.

Acorde povo brasileiro! Hora de novos sonhos e estratégias!

Autora Paula Mesquita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.