De Coração para Coração

Reflexão – dia 07 de agosto de 2017

“Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido”. (Mateus 5:17,18)

No evangelho de Mateus, capítulo 5, começa o tão conhecido sermão do monte. Para mim ele é um conjunto de regras simples, apesar de difíceis, para que possamos viver em paz na sociedade em que vivemos, seja ela qual for. São muitos ensinamentos, mas eu penso que podemos destacar alguns.

“Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus”. (Mateus 5:20)

Qual era o problema dos escribas e fariseus? Religiosidade!

Viver na religião não é viver Cristo.

Viver impondo regras sem colocar o amor junto não é viver Cristo.

Dizer que ama, mas compactuar com o pecado não é viver Cristo.

“Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno”. (Mateus 5:22)

Aqui vejo o momento muitas vezes ficamos com raiva das pessoas ao nosso redor sem nos dar a chance de conversar e perdoar.

Também observo todas as vezes que nos achamos tão santos, que acreditamos poder tomar o lugar de Deus e julgar nosso irmão decidindo se ele é salvo ou não.

Ou ainda, deixarmos a cólera tomar conta do nosso coração a ponto de insultar aos nossos irmãos.

“Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela”. (Mateus 5:28)

Nesse ponto eu contemplo algo tão sério. O adultério ou traição não está mais apenas em tomar o que não nos pertence, mas o simples desejar em pensamento já tornou o ato concretizado.

“Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna”. (Mateus 5:37)

A este respeito, é claro que nosso falar não pode trazer dúvida nenhuma. Ou temos palavra ou não temos, simples assim. Ou nas diversas situações que passamos dizemos sim ou dizemos não. Não existe meio termo ou mais ou menos.

“Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus”. (Mateus 5:44)

Fecho essa reflexão meditando na seriedade desse versículo. O amor é um mandamento tão sério que devemos amar até quem é considerado inimigo.

E não somente amar, mas orar e fazer o bem a eles. Como isso é difícil, mas sem sombra de dúvidas é o melhor caminho.

Que possamos lutar contra o nosso eu e obedecer aos mandamentos do Senhor!

Autora Paula Mesquita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.