De Coração para Coração

Reflexão – dia 06 de junho de 2017

“Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a você mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito.” (Efésios 5:33)

“Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos”. (Efésios 5:22-24)

Continuando nosso estudo sobre família refletiremos hoje sobre o papel da mulher dentro do casamento.

Muito se fala na palavra submissão. A definição no dicionário é: condição em que se é obrigado a obedecer; sujeição, subordinação às leis. Outra definição é a disposição para obedecer, para aceitar uma situação de subordinação; docilidade, obediência, subalternidade.

Assim como é muito difícil para o homem amar, se doar e entregar-se à sua esposa e família como Jesus, para nós mulheres é muito difícil obedecer quem quer que seja. Parece que a maioria de nós nasce com o dom de retrucar a todo o momento.

Vamos pensar de outra forma. Se nosso esposo seguisse fielmente aos preceitos de Deus, nos amando, nos orientando, demonstrando o quanto somos especiais para ele, se dedicando aos filhos, orientando-os e advertindo-os em amor seria difícil obedecê-lo? Tenho certeza de que não, pois estaríamos atentas as suas ações e entenderíamos que tudo que estava sendo resolvido era para o bem da nossa família.

Porém, muitas vezes a realidade é outra. Chegamos ao casamento com aversão à palavra submissão tendo-a como escravidão, o esposo com desejo de ser o homem da casa e que manda em tudo. Duas criações diferentes e choque é fatal. Os dois querem se destacar e nenhum dos dois cederem.

Mulheres a palavra de Deus é maravilhosa e ela diz em Provérbios, capítulo 14, versículo 1 que a mulher sábia edifica o seu lar e a insensata com suas próprias mãos o destrói. Se nós nos colocarmos debaixo da bênção de Deus e dos Seus mandamentos com certeza teremos vitória e nosso lar será bem-aventurado.

Ouço um número bastante expressivo de homens que se aborrecem com as suas companheiras por conta do feminismo que se alastra em nosso mundo. As mulheres não se sentiam bem quando apenas os homens tinham poder dentro da sociedade e ao invés de mudarmos essa situação para diálogo entre ambos e um mostrando o que gosta para o outro, virou um campo de batalha onde muitas mulheres estão tratando os homens com desprezo e querendo fazer da sociedade o que outrora foi o machismo.

Deus não fez ninguém para estar abaixo de outro, mas nós mulheres fomos tiradas da costela de Adão, fomos feitas para andarmos junto com nossos maridos. Fácil? Não! Impossível? Também não!

Não custa obedecer aos pedidos que eles nos solicitam e muito menos cuidar da nossa casa, dedicarmos aos nossos filhos e agradar nosso esposo. Quando estamos namorando queremos agradar, porque quando casamos esquecemos essa realidade e aplicamos em visar somente os defeitos que apareceram depois que passamos a conviver na mesma casa? Podem ter certeza de que nós fizemos o mesmo. Ele não nos conhecia vivendo sob o mesmo teto.

Se o que seu marido pedir para você não for de encontro com a Palavra de Deus, faça e verá que Deus a recompensará e seu lar estará sob a bênção do Altíssimo.

Você mulher que me lê hoje, não se aborreça com o que leu e nem ache que fiquei louca. Experimente se colocar debaixo da mão de Deus, ore e jejue caso o seu esposo não conheça ou não siga os mandamentos do Senhor. Filhos e maridos, se sua mãe e esposa, respectivamente, não tem andado conforme a luz da Palavra de Deus orem, jejuem, paguem o preço, pois vale a pena termos nossas famílias sob a proteção do Eterno.

Que nosso dia seja repleto da presença de Deus em nossas vidas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.