De Coração para Coração

Reflexão – dia 30 de maio de 2017

“Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne”. (Gênesis 2:24)

Que tal continuarmos nossa reflexão sobre família? Espero que todos nós tenhamos refletido sobre o problema de cada família nossa e o que podemos fazer para melhorar. Se ainda não fez teremos até o final da semana juntos para essa meditação.

Sabe o que tenho percebido ultimamente entre casais? Um dos dois ou até mesmo os dois não conseguem se desligar da sua antiga família, ou seja, pai, mãe e irmãos. Quando casamos nossos pais e irmãos passam a serem nossos parentes, ou seja, pessoa ligada à outra por consanguinidade, afinidade ou adoção.

Não estou dizendo que devemos nos afastar totalmente ou ainda deixar de ligar para eles a fim de saber como estão e demonstrar nosso amor e afeto, mas sim que nossos problemas e soluções têm que partir das decisões entre esposo e esposa. É hora de amadurecermos como cristãos, pessoas e criarmos nossa família, com a identidade nossa e não dos nossos pais.

Pedir aconselhamento sobre algumas situações não tem nenhum problema, mas quando queremos impor na nossa nova família o que os meus pais falam é a questão. Isso é tão sério que Deus nos ordena deixar pai e mãe e tornarmos uma só carne, ou seja, nossa família, nossa identidade, nosso amor, nossa segurança, nossa proteção. Tudo nosso, isto é, meu esposo, minha esposa, meus filhos. E tudo isso dialogado diariamente.

Quero deixar bem claro que tudo que falei não abrange quando um dos cônjuges agride física ou verbalmente o outro. Cuidado para não confundir amor com obsessão.

Essa é nossa reflexão para hoje. Como está o nosso casamento? Temos imposto nossas vontades? Temos corrido para os braços dos nossos pais ou irmãos quando algum problema nos acontece? A fase de adaptação ao casamento é difícil, mas temos tentado a nos adaptar?

Que nosso dia seja para crescimento e amadurecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.