Reflexão – dia 23 de junho de 2017

“Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia, pois que fomos sobremaneira agravados mais do que podíamos suportar, de modo tal que até da vida desesperamos”. (2 Coríntios 1:8)

“Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar”. (1 Coríntios 10:13)

Existe uma grande diferença entre tentação e provação/tribulação. Costumo ouvir e ler muitas pregações e reflexões dizendo que a provação é sempre suportada e que Deus nos dá o escape.

Que tal refletirmos sobre os dois versículos acima? Interessante que ambos estão em Coríntios. Então podemos chegar à conclusão que existe uma diferença entre provação e tentação.

Conforme nosso dicionário a palavra tentação quer dizer: impulso para a prática de alguma coisa censurável ou não recomendável ou ainda desejo veemente ou violento.

E a palavra provação: ato ou efeito de provar; prova e também dificuldade, situação aflitiva ou sofrimento muito grandes, que põem à prova a força moral, a fé religiosa, as convicções de um indivíduo. Tribulação é sinônimo de provação: Aflição, tormento, adversidade, angústia, grande luta.

Quem nos tenta é Satanás. É fato que Jesus foi levado pelo Espírito Santo ao deserto para ser tentado, porém quem o tentou foi o diabo. Deus deu a Jesus a maior arma que temos contra nosso inimigo: A Palavra de Deus. Podemos vencer a qualquer hora a tentação se realmente quisermos.

Porém, Paulo mostra aos coríntios que a provação foi tão grande que eles se desesperaram da vida, ou seja, muitas tribulações nos deixam sem forças.

Porém, sabe qual é a parte mais maravilhosa dessa questão? No Salmo 18, versos 1 e 2 o salmista diz que o Senhor é a nossa força, nosso rochedo, nosso lugar forte, nosso libertador. Ao mesmo tempo em que a tribulação nos deixa momentaneamente paralisados e desesperados acreditando não encontrar saída para o que estamos passando, Deus vem com Seu amor e cuidado e nos ampara mostrando-nos a solução para o problema ou ainda fortalecendo nossa fé para que possamos esperar o instante correto em que Ele irá nos livrar.

Que possamos nesse dia e final de semana entender o propósito de Deus para nossas vidas, nos colocarmos em posição de servos de Deus e viver conforme Sua vontade para nós!

Autora Paula Mesquita

Reflexão – dia 22 de junho de 2017

“A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um”. (Colossenses 4:6)

Deus realmente é maravilhoso. Hoje eu pretendia escrever sobre outro tema que o Senhor já falou para deixar para a próxima semana, pois houve uma determinada situação comigo e fui ministrada abundantemente pelo Espírito Santo de Deus.

Essa semana ocorreu uma determinada situação em que fui totalmente injustiçada. A pessoa foi mal educada, nada cristã e arrogante. Acusou-me do que não fiz, mentiu e ainda saiu como a certa na história aos olhos humanos para uma maioria de pessoas.

Porém, temos o péssimo hábito em esquecer que aos olhos de Deus nada passa despercebido e Ele enxerga somente a verdade.

Sentada em frente ao meu computador, não fazia ideia de como começar a trabalhar no dia de hoje e escrever nossa reflexão diária. Resolvi então abrir o aplicativo da Bíblia da Mulher em meu celular e ler o alimento diário esperando que Deus me trouxesse conforto diante dos meus sentimentos.

Como Deus sabe de todas as coisas, conhece cada um de nós e o que vai dentro do nosso coração, deu-me uma chamada com o versículo acima mostrando que independente de como fui tratada dentro da situação, meu papel como mulher cristã era ser moderada e temperada. Eu sei que diante do que eu era melhorei muito, mas ainda não estou conforme Ele quer.

Quando terminei de ler questionei a Deus. Falei para Ele: – Poxa Deus, eu fui injustiçada, acusada do que não fiz, desrespeitada e o Senhor ainda quer que eu seja moderada? Sua maravilhosa resposta para mim foi: – Eu quero tratar com você! Quero que você seja melhor a cada dia! A outra pessoa sou Eu com ela, mas quanto a você é apenas nós dois. Diante dos fatos me calei e pedi perdão a Deus.

Essa deve ser nossa oração diária. Que possamos ser tratados todos os segundos do dia para sermos melhores para Deus, pois assim seremos melhores para os homens também.

Autora Paula Mesquita

Reflexão – dia 21 de junho de 2016

“A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda”. (Provérbios 16:18)

“Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, Os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem”. (Marcos 7:21-23)

Ontem falamos sobre nos importar com as pessoas ao nosso redor. Agora vamos um pouquinho mais longe. Quando começamos a entender que precisamos buscar a santidade para agradarmos a Deus, conseguimos a tão sonhada paz interior. Porém, igualmente por inúmeras vezes muitos de nós despertamos o lado crítico.

E consequentemente nos achamos mais santos do que outros irmãos em Cristo. Nossos olhos ficam abundantemente abertos para os erros dos outros e o próximo passo é julgamento. Por vezes pensamos ou até mesmo escutamos de outros irmãos o erro e pecado do outro. Viramos peças fundamentais no tribunal de Deus e nos achamos competentes em apontar erros.

Constantemente nosso julgamento está disfarçado de “conselhos sábios” aos nossos irmãos ou ainda no gabinete pastoral para “alertar” ao pastor. Vamos ficando indignados com os erros cristãos e nos enfurecemos em várias situações alegando que cristão não pode ter determinadas atitudes.

Porém, a Palavra de Deus nos alerta em 1 Coríntios 10.12: “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia”. Precisamos olhar para dentro de nós e ver a podridão que somos, pois se Jesus em sua condição humana respondeu em Marcos 10:18: “E Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom senão um, que é Deus”. Quem somos nós para nos acharmos melhor do que os outros?

Devemos buscar a santidade, não podemos ter determinadas atitudes, todavia não somos ninguém para julgar o outro e nos acharmos melhor.

Que nesse dia possamos olhar para nós e clamar pela misericórdia divina, pois somente Ele é bom!

Autora Paula Mesquita

Reflexão – dia 20 de junho de 2016

“Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor”. (1 João 4:7,8)

Há quem diga que não precisamos nos preocupar ou nos colocarmos na dor daquele que “não tem a Cristo”. O problema é que muitas vezes não percebemos, mas nos tornamos religiosos demais como os escribas e fariseus da época de Jesus. Começamos a classificar as pessoas conforme sua crença e igreja. Se ela é de tal denominação merece nosso respeito e amor. Caso não faça não perderemos tempo jogando pérolas aos porcos.

Infelizmente o parágrafo acima é fruto de inúmeras conversas que já tive com pessoas que se dizem cristãs.

Mas o que Deus fala sobre amor? João é conhecido como o discípulo do amor divino. Fico totalmente encantada em como ele descrevia o amor de Deus para nossas vidas. No versículo acima está clara para mim uma determinada situação: se eu conheço ao meu Deus eu amo, independente de sexo, religião, time de futebol, política… Mesmo que não concorde com as atitudes tomadas pelas pessoas.

Não importa o que a pessoa é ou faz, nossa obrigação é amar. Amor não é sentimento é mandamento. Todavia, algo tem que ficar muito claro: não devemos e nem podemos concordar com o pecado. Deus ama o pecador, mas abomina o pecado. Temos obrigação de amar, mas alertar em amor, muito amor que determinada atitude conforme a Palavra de Deus é pecado ou não condiz a quem quer viver uma vida de santidade.

Se a pessoa entender o quanto ela está entristecendo a Deus, louvado seja o nome do Senhor. Porém, se ela não quiser entender, não adianta ficarmos insistindo em palavras, pois no livro do profeta Zacarias, capítulo 4, versículo 6, parte b diz: “Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos”. Isso então nos diz que devemos ficar na intercessão pela vida dessa determinada pessoa.

Que em nosso dia possamos ser ministrados pelo amor de Deus em nossos corações!

Reflexão – 19 de junho de 2017

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional; e não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que proveis qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. (Romanos 12:1,2)

Ontem tivemos mais uma parada LGBT. O tema esse ano foi: “Independente da Religião o Estado é Laico”. Onde apoiaram as Diretas Já e realizado a primeira entrega do beijo livre. Em entrevista à GloboNews, Anitta disse antes de se apresentar: “suas crenças religiosas não têm a ver com a sua orientação sexual. Acho importante que todos aprendam a respeitar as diferenças do outro e a liberdade das pessoas”.

Entrei então no grupo de mulheres cristãs e enviei uma mensagem para orarmos por essas pessoas. E o que o grupo fez? Nada! Absolutamente nada! Pouco tempo depois vi postarem vídeo de amizade, fotos de roupas nada condizentes com servas do Altíssimo para vender e um pedido de oração sobre a tragédia em Portugal.

Minha vontade foi de colocar em caixa alta: HIPÓCRITAS! Não oram pelo seu país, pela sua cidade, pela sua família, mas querem se mostrar intercessoras orando por outro país. Claro que devemos interceder por todas as pessoas, mas coloca a mão na consciência e vejam quais tem sido suas prioridades.

Devemos amar e respeitar a todas as pessoas seja qual forem seu credo e seus valores, mas jamais aceitar o pecado como algo correto. Quando se ama e se respeita uma pessoa, nós nos importamos com ela. Se a Palavra de Deus diz que Ele abomina o pecado e quem o pratica não herdará o reino dos céus isso é motivo mais do que suficiente para não nos conformarmos com tudo que tem sido jogado através da mídia sobre nós. Deus é amor, mas também é juízo!

Na Palavra de Deus em 1 Coríntios 6:9-10 diz: “Acaso não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis; nem fornicários, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbedos, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus”.

Onde está a Igreja de Cristo? Tenho visto a apatia em todo o lugar, mas não me conformarei. Amarei as pessoas ao meu redor, as pessoas que vejo carecendo do amor de Deus, do conhecimento da Sua palavra e estarei pronta para ajudar, interceder, orientar. Seja qual for o preço.

E você? Qual lado vai escolher?

Que nosso dia seja transformado pelo Espírito Santo de Deus e que possamos não nos conformar com o que vemos ao redor.

A Fortaleza – Autora Shay Nuran

Super indico essa série. E já assumo logo sou #TeamMagno

Na verdade amo todos os livros da autora Shay Nuran. Venha conhecê-la em seu perfil no facebook.

Opinião do leitor: “Esse livro está simplesmente maravilhoso. Quem leu o primeiro já teve sua dose de mistérios e suposições, mas nada se compara a esse livro. O livro está perfeito, a trama muito envolvente. Mostrou como o amor é capaz de transformar as pessoas. Os mistérios não se revelam tão fácil, mexe com a nossa imaginação, nos faz mesmo viajar e querer fazer parte do livro. Me emociono demais lendo essa história…” – Avaliação Amazon.

Links:

Amazon
Livro 1: https://goo.gl/0iDKzi
Livro 2: https://goo.gl/jaEYKH

Google Play
Livro 1: https://goo.gl/mWJyQB
Livro 2: https://goo.gl/NHcTcF

Livraria Cultura
Livro 1: https://goo.gl/Cr8cPZ
Livro 2: https://goo.gl/EF2s6s

Kobo
Livro 1: https://goo.gl/4M5WnW
Livro 2: https://goo.gl/HsXCwn

Apple:
Livro 1: https://goo.gl/fco8qx
Livro 2: https://goo.gl/wpK1Yk

#SérieAFortaleza

Reflexão – dia 16 de junho de 2017

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. (1 Coríntios 13:4-7)

Outro dia escutava uma pessoa dizer que tinha inveja branca de uma amiga. Fiquei pensando na definição da palavra de inveja: desgosto provocado pela felicidade ou prosperidade alheia, desejo irrefreável de possuir ou gozar o que é de outrem. Como alguém com esse tipo de sentimento pode ser “branco”?

Quando questionei a pessoa a resposta foi: – Estou feliz pela pessoa, mas queria poder estar feliz como ela. Peguei-me pensando quantas vezes somos assim. Parece que não temos nenhuma criatividade para nossas vidas e queremos ser felizes como alguém.

Por que simplesmente não oramos e pedimos a Deus para nos dar nossos sonhos e perspectivas?

Por que temos que olhar para o que os outros têm e desejar o mesmo para nós?

Por que não podemos ficar simplesmente alegres pelas conquistas alheias?

De uma coisa eu tenho certeza: todos os sonhos que Deus tem para nossa vida são infinitamente melhores do que pedimos ou pensamos. Como minha mãe sempre diz: – A grama do vizinho sempre parece mais verde do que a nossa. Faço um acréscimo nesse momento: – Porém, não sabemos o que ele passou para chegar naquele estágio.

Que possamos no dia de hoje e por todo o final de semana, sermos gratos pelo que temos e pelo que Deus ainda vai derramar em nossas vidas. Que ao olharmos para a conquista do próximo, possamos realmente nos alegrar com ele sem desejarmos estar onde ele está.

Reflexão – dia 14 de junho de 2017

“Porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças”. (1 Timóteo 4:4)

Como é maravilhoso sermos gratos a Deus por todas as coisas. Quando a gratidão está em nossos corações conseguimos olhar as coisas simples da vida e nos alegrarmos nelas.

No dia dos namorados um pastor amigo meu, mostrou-me o que a esposa lhe fez de café da manhã. Eles atualmente não estão com muitos recursos financeiros, mas Deus não tem permitido faltar nada. Então ele veio e me mostrou uma bandeja com duas fatias de pão caseiro, um copo de chocolate quente e uma foto dos dois. Atrás da foto estava escrito: “Feliz Dia dos Namorados! Te amo”. Esse singelo gesto foi recebido com muito amor e carinho. Eu fiquei encantada!

Em compensação, meu filho ainda não aprendeu a viver como Deus quer. Está com dezoito anos e ele irá passar o feriado cuidando da minha mãe em outro estado. É um filho maravilhoso, mas que está em aprendizado. Ontem levei um pedaço de carne para fazermos um churrasco e conversamos mais já que ficaremos longe todos esses dias. Ele me questionou o motivo do churrasco e quando falei ele achou besteira. Disse que nos vemos todos os dias e não tem razão para tal atitude minha. Tentei explicar e ele não entendeu.

Fiquei meditando nisso e entendi que quando vamos deixando de sermos homens carnais e permitindo que o Espírito Santo transforme nossas vidas, pequenos detalhes e gestos se transformam em situações maravilhosas e de grande importância para nós.

Que possamos permitir o Espírito Santo moldar nossa vida a cada instante!